Vantagens e desvantagens da compra de um imóvel na planta

|

Está pensando em comprar um imóvel? Então, pare para analisar e descubra as inúmeras vantagens de um apartamento na planta. Em primeiro lugar, saiba que estará adquirindo um “produto” dotado das mais novas tendências nas áreas da arquitetura, design, segurança, paisagismo. E o mais importante: com grande potencial de valorização e muitas facilidades para pagar.

Facilidade no financiamento, opções variadas para o investidor e valorização do imóvel são algumas vantagens que motivam o consumidor a efetuar o negócio antes da entrega do empreendimento.

“Dá para se preparar ao longo do tempo e se planejar financeiramente para na época da entrega do apartamento assumir um financiamento a valores compatíveis com um aluguel. A vantagem é que hoje as taxas de financiamento estão baixas e o prazo mais longo”, observa Olavo Batista Junior, gerente regional da Vanguard Home Londrina.

Quase 100% das unidades disponibilizadas pela construtora são comercializadas durante o período de construção. E não é por acaso. As facilidades no financiamento e a valorização do imóvel são alguns dos atrativos que levam as pessoas a optarem por fechar o negócio antes de o imóvel estar pronto.

A empresa, quando lança um empreendimento, costuma ser mais flexível e a ficar mais suscetível a análise de contrapropostas. Com o imóvel na planta, o objetivo é buscar viabilizar o projeto com mais agilidade. No momento em que ele fica pronto, além do custo ser mais elevado, a construtora costuma ser mais rígida na hora de fechar o negócio. Geralmente, o valor da entrada é maior, 20% a 30%, e o número de parcelas fica reduzido. Nesse caso, é possível efetuar o pagamento em, no máximo, 48 meses.
o cliente para financiar um imóvel direto com a construtora, durante a construção, geralmente paga um sinal de 5% e o restante em parcelas que variam de 60 a 120 meses. E ainda há a possibilidade de negociar a forma de pagamento.
Outra vantagem é o fato da pessoa, durante toda obra, não pagar juros. Ela apenas arca com o valor correspondente ao Índice Nacional de Construção Civil (ICC). Quando o apartamento está pronto, paga-se 12% ao ano de juros, além do IGPM.

As construtoras ultimamente têm ajudado a melhorar os números do mercado imobiliário. A aquisição de um imóvel na planta tem se mostrado uma alternativa mais prática e econômica do que se optar por um usado. É claro que ainda existem diversas desvantagens, porém o necessário é saber balancear os dois lados para descobrir o que vale mais a pena.

A compra de um apartamento na planta pode parecer uma alternativa mais cara se compararmos com preços de imóveis usados, mas quando se pensa a longo prazo a última opção pode não sair tão em conta.

Um apartamento novo apesar de necessitar da mobília e decoração, não necessitará de reformas ou consertos tão cedo, enquanto o usado pode, de cara, pedir algumas mudanças, tanto no essencial quanto na decoração, dependendo do gosto do último morador.

Sem falar “na defasagem da construção em relação a tendências das novas construções”, diz Gustavo Cerbasi, consultor financeiro pessoal e autor dos livros Casais Inteligentes Enriquecem Juntos e Filhos Inteligentes Enriquecem Sozinhos, da Ed. Gente.

Outro ponto positivo para a compra em uma construtora é a praticidade, já que se tem a vantagem de ser mais fácil planejar os pagamentos, poder fazer mudanças nas especificações dos acabamentos sem custo extra, negociar modificações internas, reprogramar a entrega do imóvel, e depois de pronto pintar e decorar a seu gosto.

Segundo Cerbasi, como desvantagens temos “o risco de atraso ou de não conclusão da obra, a necessidade de aguardar o prazo da obra para a ocupação e a impossibilidade de verificar a vista e o ambiente de convivência”. Mas existem alguns meios de se desvencilhar de alguns desses empecilhos.

Por exemplo, se as obras atrasarem, há uma exigência da CEF (Caixa Econômica Federal) que diz que “a liberação do valor das prestações está estritamente condicionada ao cumprimento do cronograma de obras”, ou seja, se o planejamento não for seguido à risca, o pagamento também atrasa, e a construtora não tem outra saída senão seguir com o cronograma. Também há uma exigência da CEF que diz que a construtora deve ter previamente contratado um seguro que assegure a entrega do empreendimento.

Outro problema usualmente lembrado é a falência da construtora. Nesse caso, você poderá adotar o chamado patrimônio de afetação, possibilitado por lei, que é um instrumento que protege o empreendimento em construção dos demais compromissos assumidos pela empresa falida em outras obras.

Para evitar entrar em uma negociação com uma construtora de risco, a opção é pesquisar o histórico dela, solicitando uma pesquisa nos órgãos de defesa do consumidor ou simplesmente perguntando a outros compradores de prédios já finalizados.

Não se esqueça de guardar os materiais utilizados durante sua compra, inclusive propagandas de jornais e revistas e folhetos de rua, para poder cobrar se algo estiver em contradição com o que foi descrito pelos vendedores. Diante desses dados, cabe ao comprador decidir se é mais vantajoso comprar um imóvel na planta, novo ou usado.

Para quem quer adquirir imóvel como forma de investimento, o apartamento na planta é também uma opção vantajosa, levando em conta o seu potencial de valorização. “O imóvel é uma forma de investir com segurança, de construir um patrimônio. Se você compra um imóvel pronto, é preciso saber que ele já sofreu uma valorização e você está pagando por isso”, afirma Batista Junior.

Com tantas vantagens, ainda é preciso tomar alguns cuidados antes de escolher o imóvel de sua preferência. O primeiro procedimento é verificar o memorial de incorporação registrado em cartório. Com ele, o consumidor obtém informações sobre a empresa e especificações definidas para o projeto. O documento é público e acessível a todos os interessados.


(Fonte: http://www.bestimoveis.com.br/escolha/vantagens_e_desvantagens_da_comp.htm)
*Adaptada

Índices

 

©2009 Honorato - Consultor Imobiliário | Template Blue by TNB